Criado para valorizar e proteger o profissional de saúde!

Stacks Image pp4711_n4748_n4707

O RMD®Clinic 2.1 protege porque é Certificado.
Prontuário de Pacientes em
texto livre.
Crie e exporte
textos padronizados e protocolos de atendimento por especialidade.
Menos cliques, mais tempo para o seu paciente.
Acesse o PEP e a Agenda também pelo seu iPhone
©, iPad© e Android©, com segurança.

Planejamos e construímos o RMD®Clinic 2.1 focados na segurança do Profissional de Saúde e na atenção aos seus clientes.

Garantia de um produto
Certificado pelo CFM/SBIS (e porque isto é importante), obtendo o maior nível de segurança exigido: NGS2
permitindo ao profissional a eliminação do prontuário em papel com 100% de segurança!


Acesso remoto do PEP de seus clientes e da Agenda de Atendimentos pelo
RMD®Clinic mobile e tablet para iPhone©, iPad© e Android©.
O Suporte nota 10 faz toda a instalação, implantação e treinamento para você e sua secretária! Nós garantimos!


iPhone e iPad são marcas registradas da Apple Inc. Android é marca registrada da Google Inc.

O RMD®Clinic 2.1 - Versão 2015, além de ser uma moderna ferramenta de
Prontuário Eletrônico de Pacientes - PEP, é um excelente Software para a administração
e gestão desde Consultórios Médicos individuais até grandes Clínicas Multidisciplinares.

Seus 9 Módulos, todos interligados, foram construídos para facilitar todos os processos.
O único software que traz o Módulo de Serviços Auxiliares Certificado
para todos os outros profissionais de saúde.

Acesse as informações de seu pep e agenda de atendimentos
com os Apps RMD
®Clinic mobile & tablet para iPhone©, iPad© e Android©!
RMD®Clinic mobile e tablet são os apps para iPhone e iPad da RDTI que disponibilizam as informações do Prontuário Eletrônico de Pacientes (PEP) e da Agenda de Atendimento compartilhados do RMD®Clinic 2.1, em Data Center da RDTI. Com ele o usuário profissional de saúde tem acesso aos seus conteúdos e, também, a muitas outras informações úteis no dia a dia.
Convidamos a todos a baixarem gratuitamente os apps para iPhone©, para iPad© e Android© na App Store ou Google Play. Aproveite!

Stacks Image p4763_n4769
Apps com download gratuito

Qualquer usuário, sendo licenciado do RMD®Clinic ou não, pode realizar o download de nossos aplicativos de forma rápida e gratuita. Basta acessar a App Store© ou o Google Play, digitar “RMDCLINIC” , instalar em seu iPhone, iPad ou em um SmartPhone com plataforma Android e usufruir das inúmeras ferramentas disponíveis como o Mini Bulário, CID 10 e Tabelas Médicas.
Clique para
iPhone e para iPad para acessar os Apps no iTunes. Para Android, acesse o Google Play. Verifique a versão de seu IOS e Android antes de baixar.

Usar os Apps é uma escolha do licenciado
O processo de compartilhamento das informações da Agenda e do PEP é uma escolha do usuário do RMD
®Clinic 2.1, não sendo obrigatória. Desejando compartilhar as informações da Agenda e do PEP de seus clientes como os Apps, basta instalar o RMD®Sync no computador onde está instalado o Banco de Dados. Conectado à Internet, os dados são enviados de forma segura aos Servidores Certificados da RDTI, passando a compartilhar as informações. Como exemplo, temos a senha de acesso controlada pelo usuário diretamente do RMD®Clinic 2.1 em sua clínica ou consultório.
Para o licenciado do RMD®Clinic 2.1
Para o profissional de Saúde licenciado do RMD
®Clinic 2.1, seja ele médico ou outro profissional usuário, os Apps para iPhone e para iPad permitem a visualização dos registros da Agenda de Atendimento e do Prontuário Eletrônico de Pacientes - PEP. Estes acessos não permitem quaisquer edições ou acréscimos, sendo apenas para leitura. Estas informações, sob domínio dos usuários, permanecem protegidos no computador de origem.




9 Módulos 100% integrados + App para iPhone©, iPad© e Android©

Stacks Image 5968
A arquitetura do RMD®Clinic 2.1 2015 foi planejada e desenvolvida para a integração de todos os processos necessários a um bom desempenho do software, propiciando agilidade e evitando o retrabalho. Acesso seguro a Agenda de Atendimentos e o PEP por aplicativos para smartphone e tablet.

Acesse nossos Módulos e conheça-nos melhor.

módulo administrativo
Administração segura e prática de todo o sistema. Edite e customize contratos, valores de consultas e procedimentos.
Stacks Image 6510
módulo médico
O módulo mais importante traz o Prontuário Eletrônico orbitado por inúmeras ferramentas facilitadoras.
Stacks Image 6210
módulo secretária
Cadastre, agende clientes através de uma interface fácil e direta!

Stacks Image 6281
módulo serviços auxiliares
Os profissionais de apoio diagnóstico e terapêutico agora tem seu próprio prontuário eletrônico.
Stacks Image 6537
módulo compras, estoque e farmácia
Controle as compras, estoque, dispense e descarte os vencidos.
Stacks Image 6534
módulo faturamento
Produção Médica, Contas a Pagar e a Receber na ponta do lápis.

Stacks Image 6553
módulo gestão (clínica)
Gestão clínica completa com levantamento por CID, Patologia e textual no PEP.



Stacks Image 6547
módulo fatura TISS
Faça a emissão das guias no padrão da TISS 3.02. para envio às operadoras de planos de saúde, independente do PEP. Poderá emitir as guias de consulta, de SADT, de internação, honorário individual e guia de outras despesas.
Stacks Image 6550
módulo gestão XML/TISS
Gerencie os arquivos da troca de informações da TISS de sua clínica.




Stacks Image 7269
Deseja uma apresentação online do RMDClinic 2.1 v. 2015?
Tire as suas dúvidas! Não hesite em nos perguntar!
Contate o
suporte e agende. É bem simples!

Stacks Image 3401
A Legalidade como instrumento de segurança médica

Desde 2000 o Conselho Federal de Medicina e suas Regionais tem se empenhado na melhoraria da documentação médica. O Prontuário Médico, definido como “um conjunto de documentos médicos padronizados e ordenados, destinados ao registro dos cuidados profissionais prestados ao paciente pelos serviços de saúde pública ou privado.” sendo “me”o indispensável para aferir a assistência médica prestada, e é elemento valioso para o ensino, a pesquisa e os serviços de saúde pública, servindo também como instrumento de defesa legal“. Saiba mais…

Em 2007, o CFM através da Resolução CFM Nº 1.821, de 11 de Julho, estabeleceu o Convênio com a Sociedade Brasileira de Informática em Saúde(SBIS), publicando-se em 2009 o Manual de Certificação para Sistemas de Registro Eletrônico em Saúde, que incluía, entre outras funcionalidades, normatização ABNT e normalização de Assinatura Eletrônica de Documentos Médicos.

Com o objetivo de proteger o médico e o prontuário do paciente, o CFM e a SBIS, através de convênio, estabeleceram normas rígidas, conformidades legais e requisitos exigíveis pelo poder judiciário para a legalização do Prontuário Eletrônico de Paciente (PEP). Estas normas permitiram que ocorresse a substituição de 100% do prontuário de papel pelos softwares de PEP Certificados no nível NGS2, nível Ambulatorial (entenda-se consultórios, clinicas e ambulatórios). Este processo de substituição exige que, os documentos digitais, tenham a Assinatura Eletrônica através do uso de um Certificado Eletrônico Digital padrão ICP-Brasil

Qualquer outro sistema informatizado que não se enquadre neste nível estará fora da regulamentação e passível de recusa como prova documental, se exigido, junto aos Conselho Federal de Medicina e suas Regionais, assim como junto ao Poder Judiciário.

O Conselho Federal de Medicina, em seu esforço para que as resoluções sejam aplicadas em sua íntegra, disponibilizou à todos os médicos o CRM DIGITAL. O documento inclui um “chip” onde armazena o Certificado Digital ICP-Brasil que, uma vez instalado o Certificado Digital, propicia ao médico assinar digitalmente um documento e o também o PEP, fechando assim o circulo de regulamentação de informatização médica, iniciado em 2002.

A Certificação CFM/SBIS e a Assinatura Digital

O Certificado Digital é o instrumento tecnológico que identifica de forma única e inequívoca a identidade digital do usuário, seja ele uma pessoa ou uma empresa. Para a pessoa, se utiliza a identidade digital e-CPF e para as empresas o e-CNPJ. Ambos, dentro da cadeia hierárquica encabeçada pela ICP-Brasil (ITI - Secretaria da Presidência da República), pela Secretaria da Receita Federal (CPF/CNPJ) e, finalmente pela Autoridade Certificadora. Esta última é autorizada a comercializar o Certificado Digital. Os exemplos mais conhecidos e recomendados por nós é a Certisign, a AC BR e a Valid. Estas empresas dispõe de uma tecnologia que grava o Certificado Digital em uma mídia que pode ser um chip de cartão como o CRM DIGITAL ou mesmo em um Pendrive. Ao realizar a verificação presencial das informações do Usuário, a Autoridade Certificadora irá gravar nestas mídias um par de “Chaves”, uma privada e outra pública, que são acessadas por uma senha própria e secreta que o usuário escolhe no momento da retirada do Certificado. A partir deste momento a mídia contendo o Certificado Digital do usuário pode ser usado.

Portanto, podemos entender que a Assinatura Digital de um documento se faz através do Certificado Digital em uma mídia conectada a um computador, processada por um software(Ex.: RMD®Clinic 2.1) e com a confirmação do usuário através de uma senha secreta.

Há que se instalar, no computador onde se assina eletronicamente, softwares que processam esta assinatura. Existem softwares gratuitos que realizam a assinatura de vários documentos. Por exemplo: podemos criar um texto no MSWord©, por exemplo e assiná-lo. Ótimo, não? Então se poderia utilizar qualquer editor de texto como um PEP, certo? Não! Não podemos por um simples fato: Tal documento pode alterado a qualquer momento e assinado posteriormente, destruindo-se o original.

Pensando no exemplo acima e muitas outras exigências de segurança, O CFM e a SBIS então, em 2009, produziram o Manual de Certificação que impõe à indústria de software normas e conformidades a serem cumpridas pelos seus prontuários eletrônicos de pacientes. Estas regras se baseiam em três princípios básicos:
Autenticidade, Irretratabilidade e Integridade. Como exemplo, pensando-se em um PEP, após ter assinado o registro do atendimento médico, o texto finalizado não poderá mais ser alterado (Integridade), se o for, deverá identificar a fraude sendo invalidado. O médico que o assina não poderá negar que o fez (Irretratabilidade) e, finalmente, a sua autenticidade pode ser verificada por meios eletrônicos e impressos apontando a autoria. Ainda, tudo deverá seguir a uma sequência temporal e a inserção de identificadores únicos.


Stacks Image 3385

Stacks Image 6478
RDTI - Registros Digitais Tecnologia de Informação Ltda.
Rua José Salomoni, 286 - Franca - São Paulo - 14.401-298
contatos@rdtisistemas.com.br
55 16 3720-3823

centraldevendas@rdtisistemas.com.br
suporte@rdtisistemas.com.br
SiteMap